“Torço muito para que retorne, mas não acredito na volta do Alagoano”. Esse é o pensamento do técnico do CEO, Alyson Dantas, assim como de grande parte dos
dirigentes e envolvidos no futebol estadual. Para ele a indefinição quanto ao retorno do campeonato e o tempo necessário para a organização de um calendário que possa incluir o restante dos jogos vão deixando a perspectiva de volta mais difícil.

“A paralisação deu uma quebrada geral na competição. A expectativa da equipe era chegar o mais longe possível e estávamos mantendo um ritmo bom quando tudo parou. Porém, sabemos que esse é o momento de se fazer uma coisa bem pensada para não prejudicar ninguém”, ressaltou.

O condicionamento físico dos atletas foi outro ponto citado por Dantas quando se fala em retorno. “Vamos precisar de um tempo para recuperarmos a parte física dos atletas. Um curto tempo de preparação trará riscos para quem está na parte inferior da tabela. Para quem ocupa o G4 a situação é um pouco mais confortável e não terá tanta exigência em relação ao condicionamento dos jogadores”, comentou.

Antes da suspensão das partidas, o CEO ocupava a sexta posição na tabela, com quatro pontos e um jogo a menos que o CSE, que está na quarta posição e zona de
classificação. “Dependendo do resultado, nossa equipe tem chances de chegar ao G4, mas também pode ficar numa situação complicada, então esse tempo de treinamento é muito importante e pode fazer diferença”, explicou. .

Em relação à manutenção da parte física dos atletas durante a paralisação, ele diz que o preparador físico do clube, Carlos Airon, mantém contato constante com os jogadores e em um retorno das atividades realizadas por eles em suas casas.

Base

Alyson contou ao Amistoso AL que o Tricolor do Sertão é uma das equipes que mais utilizam os garotos da base nos jogos da equipe principal. Atualmente o clube tem uma média de 12 meninos atuando no time profissional, que tem cerca de 30 atletas. O que para ele é um ganho tanto para o clube quanto para os jovens que sonham em jogar profissionalmente.

Copa Alagoas

O técnico destacou a importância da Copa Alagoas, realizada em janeiro, na preparação da equipe olhodaguense e reforçou o bom desempenho de todo o grupo durante o campeonato. O CEO foi derrotado na partida final pela equipe do ASA.

“Chegamos à final por merecimento. Jogamos a competição com uma boa padronização de jogo, tanto que fomos a equipe mais regular e, na maioria dos jogos, a gente crescia bastante. Por pouco não conseguimos a vitória, que foi numa situação de pênalti. Acredito ser uma competição muito válida, porém o calendário teria que ser repensado pois tivemos pouco tempo entre um jogo e outro”, finalizou.

Currículo

Alyson Dantas tem um currículo vitorioso em uma vida dedicada ao futebol. Já comandou a equipe do Ipanema, do CEO, CSE, ASA e esteve no Fluminense de Feira de Santana como auxiliar. Em 2011 conquistou o acesso à primeira divisão pelo CEO, e também pelo Ipanema, invicto, em 2014. Com o time olhodaguense Alyson conseguiu, ainda, chegar à semifinal do Alagoano contra o CRB, em 2013, perdendo no segundo tempo da prorrogação em jogo emocionante.

(Crédito das imagens: Assessoria)