Sabemos que nem só de história vive o futebol. Mas quando se pode aliar tradição a trabalho desempenhado no dia a dia é possível perceber a força e a persistência de um time. O Santa Cruz Futebol Clube, da cidade de Penedo, é um exemplo. Com 103 anos de fundação, a equipe vem realizando um trabalho substancial nas categorias de base, possibilitando a realização do sonho de diversos jovens da região.

Campeão alagoano do "Torneio do Centenário da Independência do Brasil", em 1922, e vice-campeão estadual da segunda divisão, em 1992, o Santa Cruz tem também, nos anos 1940 e 1950, os títulos do Campeonato da Liga de Desportos do Baixo São Francisco, em Penedo.

Em entrevista exclusiva ao Amistoso AL, o dirigente Elias Peixoto (Betume) exalta a conquista do Centenário como uma vitória importante para o Santa Cruz, que pretende reconhecimento como título de Campeão Alagoano. “Nossos guerreiros penedenses fizeram a viagem de barco, beirando a costa alagoana. Chegando na capital, goleou seus adversários, os grandes CRB e CSA, que se renderam ao nosso futebol. Foram vitórias elásticas para o Santa Cruz e não podemos deixar isso cair no esquecimento”, colocou Peixoto. Na oportunidade, o time também derrotou o rival Penedense.

Foto da equipe campeã do Centenário. Arquivo/reprodução

Além do futebol, o time abarca também o futevôlei e planeja atuar no vôlei de praia e atletismo, mas seu foco atualmente são as categorias de base sub-15 e sub-17, que devem ser reativadas com o retorno aos treinos, com cerca de 60 jovens.

Peixoto, que é ex-jogador de futebol, fez questão de ressaltar o trabalho social desempenhado pelo clube. “Vamos promover, ainda, um trabalho social com
escolinha grátis e aproveitar os alunos para formar os times para as competições”
.

Elias destaca a relevância da equipe para o futebol da cidade e fala da necessidade de sua participação no futebol federado. “Temos que resolver nossas pendências com a FAF e dar início ao nosso trabalho voltado para as competições em nível de estado. Quem ganha com isso é nossa população e, em especial, nossos talentos e aqueles que querem jogar futebol profissionalmente”, coloca.

Conclui afirmando: “o trabalho mais importante desempenhado por nós é aquele voltado para quem não tem condições de pagar uma escolinha de futebol e o Santa vai poder proporcionar isso”.

(Crédito da imagem: Arquivo Júnior Penedense)