Diante da crise mundial provocada pelo Coronavírus, uma nova medida que está sendo debatida entre a Federação Nacional dos Atletas de Futebol (Fenapaf) e Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai dar o que falar: a possibilidade de encurtar o tempo entre as partidas para 48 horas.

Isso porque as entidades buscam encontrar uma saída para cumprir o calendário das competições. Porém, de acordo com o Regulamento Geral de competições, os jogos não poderão ocorrer em uma diferença menor de 66 horas. Mas como se trataria de um caso extraordinário, as sanções não seriam previstas.

O presidente da Fenapaf, Felipe Augusto Leite, afirmou que não seriam todos os times a entrar em campo em uma diferença de 48 horas e que, nesse caso, haveria um revezamento entre os times para não prejudicar as equipes.

Mas a possibilidade, segundo o presidente, está sendo pensada junto com outras medidas e não há ainda uma definição sobre nenhuma das sugestões. Tudo no sentido de conseguir honrar o calendário nacional das competições, que é o principal intuito da CBF.

(Crédito da imagem: CBF/Divulgação)