Nesta terça-feira (07), os representantes das equipes que estão participando da Série A do Alagoano tiveram uma reunião com a Federação Alagoana de Futebol, por teleconferência, com o intuito de decidir o retorno do campeonato. No evento a entidade coordenadora sugeriu três possíveis datas para ser retomado: 18, 22 e 25 de julho.

De acordo a nota oficial, a ideia é que o campeonato seja concluído antes do início do Brasileirão, que está previsto para 8 de agosto. Na ocasião, os representantes do ASA e do Murici foram votos vencidos quanto a decisão do reinício da competição. Em entrevista a uma rádio de Arapiraca o presidente Celso Marcos declarou que, agora, terão que fazer um plano de emergência para poderem cumprir com as demandas do campeonato e que na tarde desta quarta (8) fará uma reunião com a diretoria e colaboradores para reorganizar a equipe.

Por outro lado, em conversa exclusiva com o Amistoso AL, o presidente do Jaciobá, Lucilo Brandão, disse ver de maneira positiva o retorno do futebol alagoano, tendo em conta que em todo o país já estão sendo retomadas as atividades, com exceção do estado de Amazonas. De acordo com o representante a FAF se comprometeu em arcar com as medidas sanitárias exigidas e o fornecimento de máscaras e utensílios para proteção dos profissionais.

Os Clubes, junto à FAF, aguardam agora a decisão do Poder Executivo Estadual para ter uma data definitiva. Segundo o presidente da Federação, Felipe Feijó, a entidade está mantendo diálogo com o Governo do Estado e tem percebido que há possibilidade de uma liberação em breve do Campeonato Alagoano. Sendo assim, estão orientando aos clubes a restabelecer as programações de trabalho e retorno das atividades de acordo com o protocolo elaborado pela Federação e submetido ao Governo.

Para que esse retorno seja possível tão rapidamente foram feitas algumas adaptações ao regulamento do campeonato, tais como: este ano não haverá rebaixamento, os clubes poderão contratar novos jogadores, até mesmo aqueles que já tinham excedido o número de contratação. De acordo com Luciano Sampaio, diretor de competição da FAF, muitas equipes já estão sem atletas, então esta será uma atitude necessária. Aumentará para 10 o número de atletas da base no elenco profissional, serão zerados os cartões (porém com a necessidade de cumprimento de suspensão automática ou em decorrência de punição estabelecida pelo TJD-AL) e implementação de cinco substituição, autorizada pela International Board.

Protocolo de Segurança

Na semana passada a Federação Alagoana de Futebol (FAF) emitiu um documento que denominou de Diretriz Técnica01/20. O mesmo foi assinado pelo presidente da entidade, Felipe Feijó, e o diretor de competições, Luciano Sampaio Valões da Rocha, e tem como finalidade informar a implementação das novas rotinas de procedimentos que serão realizados nos dias de jogos.

Tendo em vista a condição de excepcionalidade decorrente de pandemia, a entidade fez algumas adequações aos procedimentos previstos no artigo 55 do regulamento da competição com a finalidade de adequar à prática esportiva as recomendações sanitárias e determinações legais advindas do Poder Público e especialistas da área de saúde para que possa ser finalizado o campeonato estadual da séria A 2020.

Ainda faltam 15 jogos para o encerramento da competição, sendo 7 da primeira fase e 8 das fases finais, a princípio a Federação prevê a realização da totalidade das partidas distribuídas em 6 datas.

Na nova norma estão previstos desde os protocolos de acesso aos estádios, procedimentos nos vestiários, limitação das delegações, procedimentos para arbitragem, protocolo dos jogos, comportamento dos bancos de reserva, do pessoal de apoio, do quadro da federação e da imprensa.

Todos os estádios indicados passarão por um processo de desinfecção e higienização, em nenhum jogo será permitida a presença de público e no estádio poderá ter uma totalidade de apenas 150 pessoas envolvidas com espetáculo.

Em todos os acessos haverá a instalação de pontos de comando, sob gestão do Departamento Médico da FAF, a fim de que todos os envolvidos na realização dos jogos sejam submetidos ao controle de temperatura corporal, cuja liberação fica condicionada ao limite verificado de 37,5°C e avaliação de inquérito epidemiológico, que deve ser enviado na véspera dos jogos pelos Departamentos Médicos dos clubes, Comissão de Arbitragem e Associações e/ou profissionais de imprensa.

Cada uma das delegações dos clubes terá que chegar com uma antecipação de 1h30, com diferença de 15 minutos entre elas e terão acesso por lugares diferentes. Também ficarão limitadas a 40 (quarenta) pessoas, sendo até 05 (dirigentes, incluindo membros de diretoria), 23 (vinte e três) atletas, além de até 12 (doze) funcionários distribuídos entre a comissão técnica e pessoal de apoio. Todos deverão estar usando mascará e luvas.

(Crédito da imagem:  Augusto Oliveira/Ascom CSA)